Volvo Híbrido

  • Uso: Ônibus urbano híbrido (exportação, fez teste no Brasil)
  • Fabricação: Sem registro
  • Baumúster: Sem registro
  • Fonte dos dados: Volvo Buses (folheto PDF)

O trânsito urbano é um ambiente bastante severo, onde paradas e arrancadas repetidas impõem alta demanda ao veículo, gerando grande carga de esforço ao trem de força e freios, além do aumento do consumo de combustível. Ainda assim, o ônibus é um dos meios de transporte urbano mais economicamente viáveis para as cidades. Testes realizados na Europa comprovam que o ônibus consome 50% menos energia que o trem e 70% menos que um carro médio, para transportar o mesmo número de pessoas. Mesmo em comparação com os mais modernos ônibus urbanos de piso baixo, o Volvo Híbrido se mostra mais eficiente. O modelo consome até 35% menos combustível e emite até 50% menos gases poluentes que os ônibus convencionais em operação na Europa. Isso o torna, de longe, o meio de transporte de pessoas mais ambientalmente correto. Some-se a isto o nível reduzido e o menor desgaste de motor e freio.

A Volvo desenvolveu uma solução própria de tecnologia híbrida. O Volvo Híbrido tem uma configuração híbrida paralela, o que significa que o ônibus tem um motor diesel e outro elétrico, que tracionam o veículo de forma simultânea ou de forma simultânea ou independente.

Ao arrancar, o ônibus é movido pelo motor elétrico. O alto torque proporciona uma partida macia e silenciosa. A partir do momento em que uma determinada velocidade é atingida, aproximadamente 20 km/h, o motor diesel entra em operação. Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em paradas de embarque ou nos semáforos, o motor diesel é desligado. Para isso, um avançado sistema de controle regula a aplicação de recursos de potência. As duas fontes de energia interagem de forma otimizada.

O uso reduzido de energia e as baixas hhhhemissões são certamente os principais benefícios do Volvo Híbrido. As emissões de CO2 e NOx são dramaticamente reduzidas, obtendo índices até 50% inferiores em relação aos limites permitidos na Europa.

Outra vantagem que contribui para a economia do sistema é que o uso combinado do motor elétrico permite a utilização de um motor diesel de menor porte do que os de ônibus urbanos convencionais, sem reduzir seu desempenho.


Os principais componentes do sistema híbrido Volvo (Fonte: Volvo Buses)
1. Motor diesel 2. Motor/alternador elétrico 3. Transmissão 4. Unidade de
gestão do trem de força (PMU) 5. Conversor de energia CC/CA 600V / 24V
6. Baterias 7. Auxiliares elétricos

O motor elétrico I-SAM (Integrated Starter Alternator Motor) proporciona potência correspondente a 160 cv e torque de 800 Nm. Durante as frenagens, o motor opera como gerador de energia e carrega as baterias do veículo. O Volvo D5E é um motor diesel de quatro cilindros, 5 litros, com potência de 210 cv.

  • Motor diesel: Volvo D5E
  • Potência/torque do motor diesel: 210 cv / 800 Nm
  • Potência/torque do motor elétrico: 160 cv / 800 Nm
  • Sistema híbrido: Volvo I-SAM híbrido paralelo, com tração direta no eixo


(Fonte: Volvo Buses)

O motor diesel é acionado depois que o motor elétrico leva o ônibus a atingir uma determinada velocidade. As duas fontes de potência trabalham em conjunto, combinando o impressionante torque em baixas rotações do motor elétrico à capacidade superior de tração do motor diesel em rotações mais altas.

A transmissão Volvo I-Shift de 12 marchas é extremamente eficiente para soluções híbridas. O software da caixa interage com o sistema híbrido, de forma a otimizar o desempenho e a eficiência em tráfego urbano.

  • Sistema de troca de marchas: automatizado Volvo I-Shift de 12 marchas

  • Baterias: Baterias de íon de lítio, com controle de temperatura, proporcionam armazenamento eficiente de energia. O controle de temperatura inclui tanto a operação de aquecer quanto a de resfriar a bateria.
  • Unidade de gestão de trem de força (Powertrain Management Unit – PMU): Controla o carregamento das baterias, acionamento e desacionamento das duas fontes de potência e o modo de troca de marchas.
  • Conversor de energia: Proporciona a conversão CC/CA 600 V/24 V.
  • Auxiliares elétricos: A energia recuperada pela frenagem é usada em parte para alimentar componentes auxiliares como o compressor de ar, o controle de climatização e os servo-auxiliares da direção. Tudo com mais eficiência do que os sistemas de alimentação convencional.

  • Comprimento: até 13,2 m
  • Peso bruto do veículo: 19.100 kg (técnico)
  • Suspensão: suspensão eletrônica a ar
  • Direção: elétrica
  • Compressor de ar: elétrico rotativo
  • Freios: freios a disco EBS (ABS e controle de tração)


(Fonte: Volvo Buses)